Selo Inmetro deve estar em todos os carros até 2017

O Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), do Inmetro, existe desde 2009 – quando começou a ser estudado junto com as marcas Chevrolet, Fia, Honda, Kia e Volkswagem – e conseguiu, no ano passado, a adesão de mais de 30 marcas, que possuem o selo do Inmetro em seus carros, com as exigências do regime Inovar-Auto (novo regime automotivo, lançado pelo Governo com o intuito de promover a competitividade da indústria automotiva nacional).

Veiculo / Etiqueta de consumon de combustivel dos automoveis da Kia

A entidade espera que, até o ano de 2017, todas as marcas existentes no mercado estejam participando do programa. A meta em comparação ao ano passado é melhorar a eficiência energética em 12%, o que significa que a diminuição de consumo de combustível deve ser em torno de 13,6%, que é considerada a média dos modelos à venda de cada fabricante.

ford-ka-etiqueta-conpet-1402007624468_300x420

Acredita-se que a maioria das fábricas tentará atingir pelo menos o primeiro nível, incluindo todos os custos de difícil repasse ao preço final de venda. O PBEV ainda inclui dados de emissões de gases reguladas e de efeito estufa (CO2 fóssil), cerca de 36% dos modelos participantes precisam vir de fábrica com a etiqueta nos carros em exposição nas lojas, mas o programa deixa claro que, até 2017, mesmo que aos poucos, todos os veículos de todas as marcas terão de fixá-las, assim os compradores poderão valorizar os veículos mais eficientes.

Conheça os itens básicos para a compra de um carro novo

Vai comprar um carro novo? Esse é o sonho de boa parte dos brasileiros. Além de trazer uma série de facilidades no dia a dia, o carro tem seu valor simbólico.

carronovo_640x475

E, para que você nenhuma dor de cabeça, selecionamos dicas básicas sobre o que considerar antes da compra, confira:

– Fuja de propagandas chamativas de carros que não possuem o real interesse que você busca; slogans do tipo “o mais potente da categoria”, “motor 16 válvulas”, costumam fugir do padrão de consumidores comuns e apresentar valores muito mais elevados do que o custo que você deseja ter com a manutenção de um carro comum.

– Se informe sobre o valor da média de consumo do combustível do carro a ser comprado; as montadoras costumam oferecer esse tipo de informação. Anualmente são divulgadas médias de consumo de centenas de carros, junto a etiquetação que o Inmetro oferece para cada modelo de automóvel, com notas que variam de  A à E (em nível de eficiência).

– Quanto maior o torque (medida de força do motor), melhor o veículo responde às acelerações, sendo um detalhe muito importante na escolha de veículos leves e para o transporte de cargas! Procure escolher motores que possuem picos de torque com baixas rotações, assim você terá um carro mais “inteligente” em baixas velocidades.

– Nem todo automóvel com grande potência é realmente rápido, caminhões necessitam de mais potência pelo peso que carregam sobre os motores. Carros populares tem sua potência inicial de 70 “cavalos” (cv), podendo passar de 1.000 cv nos modelos superesportivos. Fique atento ao comparar veículos semelhantes, pois as diferenças de pelo menos 10% são imperceptíveis, ou seja, oito cavalos a mais ou a menos não é o suficiente para se decidir uma compra.