Aplicativo para celulares verificará o status de pneus

Uma fabricante de pneus está desenvolvendo uma pesquisa que pretende modificar totalmente a maneira como analisamos o estado e vida útil dos compostos do material; a partir de um moderno sensor, que por meio de um aplicativo de celular solicita ao motorista a troca dos atuais pneus por um jogo novo.

20659

Esse sensor ficará localizado por cima da banda de rodagem e analisará o nível de profundidade dos sulcos (espécie de marca nos pneus, que tem a função de ajudar no escoamento de água e garantir aderência com o solo), detectando se estão ou não abaixo dopermitido.

Caminhões, vans e veículos de trabalho terão uma vantagem mais do que significativa com esse “aplicativo”, pois o sensor vai informar ao motorista o estado de pressão dos pneus e a quantidade de carga em cada extremidade.

20663

A empresa prevê que a tecnologia esteja totalmente preparada para um lançamento mais próximo de 2017. Gostaram da novidade? Não se esqueça que qualquer alteração que você perceba no seu jogo de pneus, não adie a verificação do problema e traga seu veículo até uma de nossas lojas Asiatica!

Conheça os itens básicos para a compra de um carro novo

Vai comprar um carro novo? Esse é o sonho de boa parte dos brasileiros. Além de trazer uma série de facilidades no dia a dia, o carro tem seu valor simbólico.

carronovo_640x475

E, para que você nenhuma dor de cabeça, selecionamos dicas básicas sobre o que considerar antes da compra, confira:

– Fuja de propagandas chamativas de carros que não possuem o real interesse que você busca; slogans do tipo “o mais potente da categoria”, “motor 16 válvulas”, costumam fugir do padrão de consumidores comuns e apresentar valores muito mais elevados do que o custo que você deseja ter com a manutenção de um carro comum.

– Se informe sobre o valor da média de consumo do combustível do carro a ser comprado; as montadoras costumam oferecer esse tipo de informação. Anualmente são divulgadas médias de consumo de centenas de carros, junto a etiquetação que o Inmetro oferece para cada modelo de automóvel, com notas que variam de  A à E (em nível de eficiência).

– Quanto maior o torque (medida de força do motor), melhor o veículo responde às acelerações, sendo um detalhe muito importante na escolha de veículos leves e para o transporte de cargas! Procure escolher motores que possuem picos de torque com baixas rotações, assim você terá um carro mais “inteligente” em baixas velocidades.

– Nem todo automóvel com grande potência é realmente rápido, caminhões necessitam de mais potência pelo peso que carregam sobre os motores. Carros populares tem sua potência inicial de 70 “cavalos” (cv), podendo passar de 1.000 cv nos modelos superesportivos. Fique atento ao comparar veículos semelhantes, pois as diferenças de pelo menos 10% são imperceptíveis, ou seja, oito cavalos a mais ou a menos não é o suficiente para se decidir uma compra.

Enceramento, Polimento e Cristalização

Entre muitos cuidados que o seu carro necessita, a manutenção da cor do automóvel é um deles e há momentos em que só a repintura pode resolver! O serviço de polimento deve ser feito com cautela e não de forma exagerada, no máximo três vezes em toda a vida útil do veículo.

1306872858619

Dessa forma, conheça a diferença entre os serviços de enceramento, polimento e cristalização, essenciais no processo de manutenção do seu carro e que te dão destaque em casos de troca ou venda do seu patrimônio.

-Enceramento: Indicado para veículos novos, seminovos e repintados, sendo o serviço mais simples e barato para proteger seu veículo dos efeitos do tempo.

– Polimento: Indicado para carros que possuem a pintura manchada, com riscos de pouca profundidade, queimadas pelo sol, manchas provocadas por pássaros ou galhos de árvores. O serviço deve ser feito, no máximo, três vezes durante a vida útil do carro, pois acaba retirando uma boa camada de verniz durante o processo de polimento.

– Cristalização: Indicado para todos os tipos de veículos para uma maior durabilidade, sobre a pintura atual do veículo. Com ela, é possível retirar riscos e manchas.

Gostaram das dicas? Passe em uma das sedes Asiaticas e veja qual desses serviços o seu veículo está necessitando!

Ar-condicionado ON

Ar condicionado automotivoCom o calor excessivo dessa época do ano, ao entrar no carro a primeira atitude sua é dar partida no motor e ligar o ar-condicionado, correto? Por isso, fazer a manutenção regular, além de adotar alguns hábitos ajudarão a prolongar seu tempo útil como, por exemplo, acioná-lo até mesmo nos dias frios.

Isso mesmo! Ligar o ar-condicionado periodicamente garante que o óleo presente no compressor circule e lubrifique todas as peças, evitando o ressecamento das mesmas, pois boa parte delas são feitas de borracha. Calma, você não precisa morrer de frio! Para manter o bom funcionamento do ar é necessário apenas 15 minutos com o componente acionado.

Fazer as manutenções básicas, como a troca de filtro, também são dicas básicas para otimização do conjunto. Essa troca pode ser feita a cada 10 mil Km rodados ou a cada seis meses. Além disso, fique atento a eventuais vazamentos e na recarga do gás que compõe o sistema.

Se você ainda tem dúvidas ou o ar-condicionado do seu automóvel requer cuidados mais específicos que estes, procure um centro automotivo especializado no seu veículo. A Asiatica Automotive, por exemplo, possui uma equipe especializada na manutenção preventiva e corretiva de veículos de marcas asiáticas, entre eles, a manutenção do sistema de ar-condicionado.

Saiba como identificar a origem do vazamento de óleo

Vazamento de óleoEncontrar uma poça de óleo no chão da garagem é uma surpresa que nenhuma pessoa quer de ter e a primeira reação é pensar: “De onde este óleo está vazando e o que fazer para que esse vazamento pare?”. Procurar um local especializado para fazer os reparos necessários é sempre a melhor opção, mas se você quer ter a certeza da origem desse vazamento e ficar mais tranquilo, separamos algumas dicas. Confira:

  • Remova a graxa do bloco do motor com um desengraxante para que a superfície fique limpa e você possa identificar com mais clareza os componentes;
  • Coloque papel grosso ou papelão embaixo do carro para não fazer mais sujeira e ligue o carro para ver se o vazamento fica mais evidente, caso isso não aconteça na hora, o papelão irá denunciá-lo mais tarde;
  • Embaixo do carro, cheque se o filtro está devidamente apertado. Se for esse o problema aperte-o, mas se não funcionar, pode ser que a gaxeta esteja gasta e você terá que substituí-la;
  • Verifique se todos os parafusos próximos ao motor do carro estão soltos ou espanados;
  • Você pode utilizar o manual do seu carro para localizar a unidade de transmissão de óleo e poder checar sua pressão e se o encaixe está solto;
  • Gaxetas gastas ou danificadas podem causar vazamento, pois são responsáveis pela vedação de alguns componentes do automóvel.

São dicas básicas que podem ajuda-lo a ficar mais despreocupado e garantir que você rode com o seu carro com maior segurança. De qualquer forma, não se esqueça de manter as revisões em dia!

Cuidado com água do radiador

Água no radiadorO radiador é o principal componente do sistema de arrefecimento do automóvel e tem a função de fazer a troca de calor no sistema. O líquido que vem aquecido do motor, passa pelos seus dutos e sofre o resfriamento, devido à circulação de ar que acontece em suas paletas para que, em seguida, ele possa retornar ao motor em uma temperatura mais baixa.

Embora não seja correto a baixa no fluído que faz a refrigeração do sistema (água + aditivos), pode acontecer uma pequena perda por evaporação em alguns casos. Se você perceber que o fluído está baixando mais rápido que de costume, é possível que haja um vazamento em algum lugar do sistema. Nesse caso, é preciso procurar um especialista.

Fique atento!

– Sempre que for verificar a água no radiador, tenha a certeza de que o motor está frio, pois o líquido ainda pode estar em circulação no sistema e isso pode prejudicar na hora de fazer a medida;

– Não abra a tampa do reservatório logo após desligar o carro para não correr o risco de espirrar água quente em você;

– Não utilize água de torneira junto ao aditivo. Ela possui cloro e sais minerais que podem danificar o sistema de arrefecimento do automóvel como, por exemplo, a corrosão;

– Utilize apenas bons aditivos. Normalmente eles são feitos a base de monoetilenoglicol, substância que aumenta o ponto de ebulição e diminui o ponto de congelamento da água, além de manter o sistema lubrificado e evitar o acumulo de sujeira.

Essas foram algumas dicas que podem ser úteis no seu dia a dia e na preservação do seu automóvel.

A indispensável suspensão automotiva

Suspensão automotivaCom a função de maximizar o atrito entre o solo e o pneu, proporcionando maior estabilidade e conforto aos passageiros, a suspensão automotiva é composta por um conjunto de peças que basicamente envolvem mola e amortecedor. Entre os vários tipos existentes, os mais comuns são: a suspensão independente, MacPherson, triângulo duplo, multilink e barra de torção ou eixo rígido.

Nos primórdios da invenção do automóvel a existência desse sistema não era necessária, uma vez que os carros não ultrapassavam a velocidade de 30 Km/h. Existia apenas algumas poucas molas que asseguravam a absorção de impactos dos carros.

Mas, com a modernização dos automóveis, foi indispensável a criação de um sistema que diminuísse as vibrações e mantivesse os carros estáveis. Seu conjunto também pode variar, conforme o tipo do carro, por exemplo, os off-roads, que exigem uma atenção maior quanto a suspensão, para atender solos mais irregulares.

Por isso, sua manutenção se torna essencial para garantir não só o conforto, mas também para assegurar o bom desempenho do automóvel.

Troca de óleo: quando fazer?

Tróca de óleoAlgumas manutenções do automóvel requerem uma atenção especial. A periodicidade na troca de óleo é uma delas e exige do motorista tempo e disposição, no entanto ela é de extrema importância para o bom funcionamento do carro, pois atenua os efeitos causados pelo atrito das peças dentro do motor. Se você possui dúvidas sobre quando fazer a troca, aqui vão algumas dicas que podem ajudá-lo a compreender como ela funciona, veja:

  • Quando fazer:
    O manual do proprietário deve fornecer a informação exata sobre a hora certa de fazer a troca de óleo, sendo que o tempo pode ser especificado segundo dois fatores:

– Uso normal, quando o motorista costuma trafegar em velocidade constante, normal em percursos longos;
– Uso severo, para veículos que trafegam em estradas acidentadas ou em grandes centros urbanos.

  • Periodicidade:
    É importante fazer a troca constante do óleo, pois ele possui um prazo de vida útil e, conforme o tempo passa, fica espesso e acumula sujeira, o que pode trazer diversos danos ao veículo.
  • Sintético ou mineral:
    A diferença entre eles está na obtenção de cada um. Os óleos sintéticos são gerados por processos químicos o que garante mais desempenho ao automóvel, enquanto os minerais são extraídos da separação de componentes do petróleo. Não é recomendável a mistura desses dois tipos de óleo para não prejudicar o motor.
  • Óleo de freio:
    O período de troca do óleo de freio é mais longo que o do motor, podendo ser entre 40 mil Km ou a cada 2 anos (o que vier primeiro). É ele que vai garantir, junto com itens como pastilha de freio e o disco, que o sistema de frenagem funcione perfeitamente.
  • Fluido hidráulico:
    É preciso manter o fluído hidráulico sempre no nível especificado para evitar que a direção gire com facilidade e evite que ela trave.

Seguindo essas especificações e mantendo constante a troca de óleo, você se livra de problemas com o motor e o seu automóvel agradece.

Parte Elétrica: Saiba o que deve ser revisado no seu automóvel

ElétricaSe a parte elétrica do seu carro anda apresentando problemas, é melhor você se prevenir e fazer uma boa revisão antes que o seu carro te deixe na mão. Falhas no comando ou panes no sistema são fatores que precisam ser levados a sério para garantir que o seu automóvel continue rodando perfeitamente.
Veja alguns componentes que não podem ser ignorados na hora da revisão elétrica:
Bateria:

É o principal componente do sistema elétrico do seu automóvel e o que mais necessita de atenção, pois é ela que faz a alimentação de todo o conjunto. Embora seja recomendado fazer sua troca a cada 4 anos, no melhor dos casos, é aconselhável que pelo menos uma vez ao ano seja feita uma checagem, para garantir seu bom funcionamento.

Iluminação e Sinalização:

As lâmpadas dos faróis, das lanternas e das setas são componentes do seu automóvel que precisam estar sempre funcionando, pois são elas que garantem segurança e cumprem o papel de auxiliar na comunicação com outros motoristas. Devem durar no mínimo 700 horas, conforme especificado por normas internacionais.

Alternador:

Se o seu carro apresenta variação na iluminação, dificuldade na hora de dar a partida ou se a luz de bateria no painel se mantiver acesa, é provável que o problema seja no alternador, porque é ele que mantém a bateria carregada quando o motor do automóvel está em funcionamento.

Periféricos:

Esse conjunto que pode ser composto por: vidros, travas, alarmes e sistema de som, são componentes que garantem o conforto do motorista e que também precisam de atenção, pois se não vierem de fábrica, precisam ser instalados por profissionais devidamente capacitados, para não se tornarem um fardo para o motorista mais tarde.

Seja no computador de bordo ou mesmo no painel do seu carro, fique atento às luzes que podem indicar falha no sistema elétrico e lembre-se sempre de fazer a revisão.

Saiba quando fazer a limpeza dos bicos injetores

BicosOs bicos injetores são responsáveis por inserir a quantia exata de combustível nos dutos do coletor de admissão, onde acontecerá sua queima. A válvula injetora é composta basicamente por uma bobina e uma agulha que, quando acionadas, permitem a passagem do combustível.

A pressão do combustível na válvula é fixa, ou seja, a única maneira de variar o volume injetado é aumentando ou diminuindo a quantidade de aberturas da agulha em função do tempo de injeção.

Com o passar do tempo, tanto a agulha quanto o orifício de passagem retém alguns resíduos existentes no próprio combustível, dificultando sua passagem e influenciando nas características físicas da válvula. Isso pode alterar o volume de combustível injetado nos dutos, comprometendo todos os componentes do motor do automóvel.

A gasolina é o combustível que mais deposita resíduos e o tempo certo para se fazer a limpeza nos bicos é aproximadamente de 30.000 Km.

Seguindo à risca o tempo certo de fazer a manutenção de cada item do seu carro, assim como a dos bicos injetores, você se previne e garante melhor desempenho do seu carro.