Cuidados com o carro no inverno

O inverno já chegou e com ele veio, também, a neblina e o frio, que ficam maiores à medida que a temperatura cai.

Mas você sabia que, no inverno, os cuidados com o seu automóvel tem que ser redobrados? A Asiatica Automotive pensou em você e separou as melhores dicas para você cuidar do seu carro na estação mais fria do ano.

catedral maringa

Confira algumas dicas de manutenção de seu veículo durante esse período:

 – Pneus carecas são inimigos do piso úmido, verifique em todos os pneus, até mesmo o reserva, sinais de desgastes. Para não correr o risco de fazer uma avaliação errada, peça para um centro automotivo de confiança fazer essa checagem. O balanceamento e alinhamento economizam combustível e prolongam a vida útil dos pneus, por isso, vale lembrar que, por mais que a banda de rodagem seja de alta qualidade, se os pneus apresentarem bolhas na lateral devem ser descartados.

– Em caso de carros movidos a álcool ou flex, mantenha o reservatório de partida a frio abastecido com GASOLINA, isso vai facilitar a partida nas manhãs frias.

neblina SDC10249

– Verifique os faróis e lanternas e, se for necessário, substitua as lâmpadas danificadas pois, se você tiver que dirigir na neblina eles serão essenciais para que você tenha  uma visão limpa da pista.

– Cuidado REDOBRADO com o combustível muito barato no inverno, os combustíveis adulterados geram dificuldade de ligar o motor logo pela manhã, que se acentua quando a temperatura abaixo de 18ºC.

– Deixe o limpador de para-brisa limpo, lavando-o bem para ter uma boa visibilidade na hora de dirigir, lembre-se de manter o reservatório do limpador abastecido com o detergente específico;

thumb_image

– Verifique o visor da parte superior da bateria, se ele estiver VERDE, significa que está tudo em ordem, se estiver PRETO, isso indica que alguma coisa não está correta, portanto, se ele estiver preto, leve o seu carro até o centro automotivo de confiança e peça para verificarem se o alternador e as correias estão funcionando perfeitamente.

Gostaram das dicas? Então, deixe seu comentário! #TeamAsiatica #AsiaticaAutomotive

Publicidade

Verdades e mentiras sobre a revisão obrigatória de carros 0 km

Atualmente, todo carro zero quilômetro vem com garantia de fábrica por um determinado tempo, que varia de acordo com a marca. Essa garantia pode ser total ou apenas incluir o motor e câmbio. No entanto, todas as marcas tem em comum o fato de exigirem uma revisão periódica para checar se está tudo certo com os veículos e, assim, manterem sua garantia. E esquecer-se de fazer essa revisão de acordo com as orientações pode resultar em dor de cabeça!

Mitos e  verdades

Mas, vale lembrar que, nem toda limpeza, troca ou correção, é necessária e que ler atentamente o manual do proprietário evita que você pague por serviços desnecessários e o deixa por dentro das exigências de fábrica.

Para ajudá-lo, separamos os principais MITOS e VERDADES sobre a revisão automotiva:

– Balanceamento e Alinhamento a cada 10 mil km – (VERDADE). O alinhamento é responsável pelos ajustes de convergência e divergência das rodas. Já o balanceamento equilibra a distribuição da massa total dos pneus e da roda, evitando trepidações. Como as estradas e ruas esburacadas acabam alterando a geometria da suspensão, as correções são necessárias, evitando o aumento do consumo de combustível e aumentando a vida útil dos pneus.

unnamed

– Limpeza do filtro combustível antes dos 30mil km (MITO) – O filtro de combustível deve ser trocado a cada 10 mil km, pois ele consegue segurar cerca de 98% das impurezas, mas, ao abastecer o tanque com gasolina adulterada com solvente de borracha ou etanol misturado com álcool anidro, os produtos acabam interferindo no funcionamento do motor.

– Descontaminação do motor (MITO) – A descontaminação do motor não é necessária antes dos 30 mil km se o motorista substituir os filtros de ar, combustível e óleo dentro dos prazos estabelecidos no manual.

Mito-ou-Verdade

Gostou das nossas dicas? Então, deixe seu comentário #TeamAsia #AsiaticaAutomotive

Evite serviços desnecessários no seu carro

Os serviços de alinhamento e balanceamento de um veículo são recomendados a cada 10 mil km, assim como a substituição do jogo de pneus que, geralmente, deve ser feita quando o carro tiver rodado entre 35 e 45 mil km. É em momentos como esses que algumas lojas automotivas costumam “empurrar” a troca de várias peças de seu veículo, além de vários serviços que não precisam ser feitos, fazendo você gastar mais do que o necessário. Para ajudá-lo a evitar esses inconvenientes, a Asiatica separou algumas dicas para você identificar os reais gastos em seu carro e o que realmente é necessário para que ele rode em ótimas condições:

. A inclinação da roda do veículo em relação ao plano vertical, a conhecida cambagem, nem sempre é um serviço essencial em seu automóvel.  A verificação é importante, mas é recomendado que o serviço seja feito apenas se você teve algum impacto forte na roda, ou mesmo uma colisão.

Carroquebrado1

. O balanceamento e o alinhamento são dois serviços essenciais para a vida útil dos pneus de seu carro. A frequência adequada para os serviços é a cada 10 mil km, assim como o balanceamento deve ser feito toda vez que desmontar ou montar um pneu em uma roda.

Verifique a sua direção ao sair da loja, se o volante estiver puxando para algum dos lados em uma reta, volte e peça a verificação, se for preciso, dê uma volta com o técnico em seu carro.

. Cuidado ao ser alertado pela troca de muitas peças de seu veículo, se você realmente não faz revisão com a frequência adequada, pode até ter uma lista de peças danificadas, mas, em todo caso, consulte um mecânico de confiança para obter uma avaliação de dois técnicos antes de aceitar o serviço de troca de peças.

images (3)

. Nunca se iluda com as ofertas de pneus, pois, pneu bom realmente possui um preço mais alto, já que possui alta tecnologia e uma matéria-prima de qualidade. Garanta a sua segurança e escape das promoções com preços desproporcionais.

. Faça uma consulta em sites de reclamações e observe os comentários sobre o tratamento com os clientes pré-consultas e o pós também, não se esqueça de rever todas as insatisfações com a loja.

Gostaram das dicas? Viram como é importante deixar o veículo na mão de qualificados e de confiança?

Saiba quais hábitos acabam com a vida útil do seu carro

A Asiatica Automotive presta vários serviços com o máximo de qualidade para o seu carro e entre eles está a manutenção preventiva (aquela que é programada com o objetivo de aumentar a eficiência dos equipamentos dos veículos, além de reduzir a quantidade de reparos inesperado) e a preditiva (aquela feita após o desgaste ter ocorrido)! Saiba que alguns vícios de direção, que acabam se tornando frequentes, colocam a vida útil do seu automóvel em jogo, podendo prejudicar o veículo de tal forma que os gastos se tornem exorbitantes com manutenções frequentes!

A Asiatica listou algum desses erros para você se manter atento na direção:

1 – Passar em valetas ou lombadas na diagonal provoca torção da carroceria do veículo, que resulta em um rompimento de pontos de solda e acaba ocasionando barulhos difíceis de serem diagnosticados. O ato de desviar das lombadas também é prejudicial, podendo comprometer as molas do veículo.

2- Dirigir o automóvel com o combustível na reserva acaba queimando a própria bomba alojada no tanque por superaquecimento. Ao andar com o combustível na reserva, a troca de calor necessária entre o combustível e o motor elétrico não ocorre e ocasiona superaquecimentos frequentes que diminuem a vida útil da bomba.

download

3 – Encostar as rodas na guia acaba causando um dano no rolamento que, pelo fato de trabalhar com altas rotações, gera ruído e até um agravante travamento.

4 – Girar o volante com as rodas coladas na guia, ou mesmo com o veículo parado, sobrecarrega o sistema de direção hidráulica e danifica os retentores provocando vazamentos do óleo hidráulico, que indica algum defeito da carroceria do automóvel ou problemas que só um mecânico especializado poderá identificar.

5 – Se você costuma dar arrancadas ou reduzidas muito intensas, saiba que o motor do carro fica apoiado sobre coxins, que têm a função de absorver os movimentos e vibrações do propulsor, e ao executar essas “arrancadas” você acaba por danificar esse sistema.

download (1)

Viram que alguns hábitos do seu dia a dia acabam por prejudicar toda a vida útil de seu carro? Por isso, tente evitá-los e, sempre traga seu carro em nossa loja Asiatica para manutenção, de preferência preventiva, e dirija tranquilamente!

Como funcionam os freios abs

Freio absItem obrigatório de fábrica a partir deste ano, o freio abs é um forte aliado do motorista quando o assunto é segurança. Assim como os freios a disco, eles também funcionam a partir do contato entre a pastilha e o disco, mas se diferenciam no controle de bombeamento do fluído que coordena as pastilhas: os freios a disco travam as rodas totalmente, resultando em uma frenagem brusca, já o abs permite que o motorista continue no controle do carro, pois o atrito entre pastilha e disco é parcial.

Assim que vemos um obstáculo na rua, instintivamente enfiamos o pé no freio bruscamente. Essa ação é perigosa e pode causar graves acidentes, pois os automóveis sem o sistema abs tendem a derrapar e se arrastar até que parem completamente, sem que o motorista tenha controle do carro. Nesse caso, o correto seria pisar e soltar o pedal do freio continuamente, o que seria difícil em um momento de surpresa.

O freio abs faz isso automaticamente e facilita a vida do motorista oferecendo mais segurança. Você pode pisar no pedal de freio até o fim que o sistema fará o resto. É importante ressaltar que para que ele funcione plenamente é preciso estar em dia com sua manutenção, inclusive na troca das pastilhas.

Um sistema que garante tranquilidade ao motorista e maior segurança a todos os passageiros.

Dicas para dirigir na chuva

Dirigir chuvaOs dias chuvosos costumam registrar os maiores números de acidentes de trânsito, e por isso, a atenção tem que ser redobrada. Seja em meio a um temporal ou mesmo em uma chuvinha de verão, o asfalto molhado ou a baixa visibilidade são fatores que oferecem riscos até para o motorista mais experiente.

Tentar atravessar locais alagados pode ser uma péssima ideia. A aquaplanagem (quando o pneu do automóvel perde o contato com o solo) é um inimigo em potencial aos motoristas, pois durante esse momento não há o controle da direção e sua proporção pode ser ainda maior se o carro estiver em alta velocidade ou se os pneus estiverem carecas.

Por isso, separamos algumas dicas que podem garantir mais segurança ao condutor nos dias de chuva. Confira:

  • Ande em velocidade reduzida e procure manter uma distância mínima de 8 metros do veículo à sua frente;
  • O farol pode ser um grande aliado nesses momentos. Além de servir como guia para o motorista que segue atrás de você ele melhora a sua visão e diminui o risco de colisão. Evite acionar o farol alto ou o pisca alerta quando o carro estiver em movimento para não prejudicar e confundir os outros condutores;
  • Não freie bruscamente nem faça manobras arriscadas. Lembre-se de que o asfalto molhado irá limitar as ações do seu automóvel;
  • Em caso de temporais ou chuvas mais fortes, pare o carro no acostamento, acione o pisca alerta e espere a chuva parar ou diminuir;
  • Lembre-se de manter as paletas do para-brisa em bom estado de funcionamento para que ele não te deixe na mão quando precisar. Mantenha sua velocidade de acordo com o volume de água;
  • Lembre-se de manter um pano seco em seu automóvel para eventuais contratempos. Se o desembaçador costuma demorar para desobstruir sua visão use o pano e evite limpar o vidro com as mãos pois, a gordura natural da pele pode piorar a situação. Além disso, ligar o ar-condicionado ou deixar poucos centímetros do vidro aberto pode ajudar no processo.

Em todo caso, vale lembrar que os maiores perigos em se dirigir em dias de chuvas costumam estar sempre camuflados e as condições são mais perigosas e traiçoeiras. Fique alerta!

A indispensável suspensão automotiva

Suspensão automotivaCom a função de maximizar o atrito entre o solo e o pneu, proporcionando maior estabilidade e conforto aos passageiros, a suspensão automotiva é composta por um conjunto de peças que basicamente envolvem mola e amortecedor. Entre os vários tipos existentes, os mais comuns são: a suspensão independente, MacPherson, triângulo duplo, multilink e barra de torção ou eixo rígido.

Nos primórdios da invenção do automóvel a existência desse sistema não era necessária, uma vez que os carros não ultrapassavam a velocidade de 30 Km/h. Existia apenas algumas poucas molas que asseguravam a absorção de impactos dos carros.

Mas, com a modernização dos automóveis, foi indispensável a criação de um sistema que diminuísse as vibrações e mantivesse os carros estáveis. Seu conjunto também pode variar, conforme o tipo do carro, por exemplo, os off-roads, que exigem uma atenção maior quanto a suspensão, para atender solos mais irregulares.

Por isso, sua manutenção se torna essencial para garantir não só o conforto, mas também para assegurar o bom desempenho do automóvel.

Mantenha as rodas alinhadas

AlinhamentoCom o objetivo de obter melhor dirigibilidade, maior eficiência do rolamento e otimização do grau de esterção (ato de virar o volante), o alinhamento é de extrema importância para o automóvel. E os fatores que podem provocar o desajuste no alinhamento do carro são: impactos, trepidações, desgastes na suspensão, entre outros.
Alguns itens podem anunciar a hora certa de fazer o alinhamento, confira:

Convergência:

É o ajuste das rodas do eixo direcional, para que elas fiquem mais fechadas na extremidade dianteira do que na traseira, evitando desgastes excessivos do pneu;

 Divergência:

É o oposto à convergência, ou seja, é o ajuste das rodas direcionais para que fiquem um pouco mais abertas na extremidade dianteira do que na traseira;

Cambagem:

Esse ajuste controla as características de rolamento das rodas, podendo ser positiva ou negativa. Ele é determinado pela inclinação da parte superior da roda, para dentro ou para fora do veículo, em relação a um plano vertical. Quando positiva, prejudica a parte externa do pneu e, quando negativa, a parte interna.

Caster:

A fim de proporcionar melhor dirigibilidade ao veículo, quando este estiver em movimento, o caster é a inclinação do pino mestre, ou do braço de suporte do eixo, para frente ou para trás com relação a um plano vertical. Caster desigual faz com que a roda puxe para um lado ocasionando um desgaste irregular.

Então, toda vez que for fazer a troca dos pneus ou quando sentir diferença no comportamento do carro, não deixe de fazer o alinhamento do seu automóvel.

Estepe: algumas dicas para não ter surpresas com esse item

   Todo motorista acha que nunca usará o estepe, mas ninguém está livre de precisar recorrer a ele em algum momento. É preciso estar atento ao pneu reserva, para evitar que o momento de trocá-lo não seja ainda mais incômodo. Veja algumas dicas e evite surpresas:

estepe

  • Quando for calibrar os pneus, lembre-se também de calibrar o estepe uma vez por semana ou no máximo a cada 15 dias. O pneu reserva também perde pressão. Se tiver alguma dúvida, as informações sobre a pressão indicada estão no manual do proprietário do veículo.
  •  Se você equipou seu veículo com rodas de liga leve e deixou o estepe com rodas de ferro, é preciso carregar os parafusos específicos para esta roda, pois se precisar usar o pneu reserva e utilizar os parafusos de liga leve, poderá danificar o sistema de freio.
  • Nunca use como reserva pneus com cortes ou torturas, ele pode furar e aumentar o risco de acidentes. A roda também não pode estar trincada e nem amassada.
  • Lembre-se que os cinco pneus do carro devem ter profundidade mínima de 1,6 mm nos sulcos (aqueles frisos que indicam o desgaste da borracha). Isto faz parte de uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e pode resultar em multas. Por isso, não coloque pneu careca como estepe.
  •  Veículos que possuem o estepe menor do que as rodas normais, não podem rodar muito tempo com o pneu reserva. Procure um centro automotivo mais próximo, para consertar o pneu estragado ou trocá-lo. Enquanto estiver rodando com o pneu menor, evite altas velocidades.

 Gostou das dicas? Comente!

Você sabe as diferenças entre rodas de ferro e rodas de liga leve?

roodasAs rodas de liga leve são mais bonitas e mais caras do que as de ferro, especialistas afirmam que a maior diferença entre elas é o preço. Ambas são projetadas para aguentar estradas ruins, porém as rodas de ferro são mais pesadas, mas isso não interfere no desempenho do veículo.

Por isso, se você está em dúvida entre as rodas de ferro e as de liga leve pode escolher pela estética e pelo valor (desde que sejam rodas certificadas pelas montadoras), pois em termos de segurança e desempenho, elas são semelhantes.

As rodas de ferro ou aço são mais resistentes para fortes impactos, além da recuperação ser mais simples. O design das rodas de ferro costuma ser sempre o mesmo, este material não permite muita modelagem, por isso os modelos são mais simples.

Já as rodas de liga leve são fabricadas com materiais mais leves, como titânio ou alumínio, geralmente são mais bonitas e leves, o que permite uma maior variedade de tamanhos e cores. O aspecto negativo é que pela sua leveza, ela está mais sujeita a quebrar em pancadas mais fortes. Raramente uma roda de liga leve amassa, ela quebra e isso impossibilita seu uso. Há a possibilidade de consertar este tipo de material, mas as montadoras não recomendam por questões de segurança.

É preciso estar atento ao tamanho do aro indicado pela montadora, em alguns veículos é possível utilizar mais de um tamanho de roda, isto é essencial, pois se um veículo utilizar rodas de um diâmetro não recomendado pelos fabricantes, ele pode ter problemas na suspensão e um maior desgaste nos pneus.

Procure sempre centros automotivos especializados para avaliar a possibilidade de trocar as rodas com segurança e de acordo com as especificações do seu veículo.